segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Ungaretti - Haroldo

O Porto Sepulto


Eis que chega o poeta
e volta depois para a luz com os seus cantos
e os despende

Desta poesia
me resta
aquele nada
de inexaurível segredo

Nenhum comentário: