domingo, 12 de setembro de 2010

escrever como um arranhador qualquer

Ele afinou as cordas de sua harpa
Nos tons que só ele e a sós escuta;
Nunca os ouviu dos mestres - se desfarpa
Talvez por isso a vibração d'inculta
No vosso ouvido.

Nenhum comentário: