sábado, 4 de outubro de 2008

Joyceanas - rascunhos de setembro

5.
Trieste, névoa em chamas
friezazul em gestos ninfos, sem
telha branca de cheiro:

vaga boca nevada, triste
tivestes ainda cor: cinza
azul – brumas, mofo.

Ternos joelhos baços
– assentisorribocejacoça –
a pele seca, sem cheiro: bafo.



6.
Pálpebras caligráficas, cálida
sílaba breve – castiçais
férreos, monóculos: fina pele

pálida. Muco ranço amarelo
estrias azulares – harmonia
em gemidos: cantata escura

uma onda, sentido. Leve
monotonia, ludibriado lábio
sorri – pensa: amarelado.




7.
Fornicadores descorados – pousando
os olhos elas catam. Ancas
elegantes, ambas além do

recato. Pingando, na moita
névoa e sereno, riso-tátil
cinza-arco, ruas próximas ao

cais; a cidade caída
brisa, brilhantes frontes
– olhos parvos de pedra.



8.
Álacres saltos altos, ecos
ocos nas escadas. Parda boca
de fáceis modos, infinitas botinas

cobrem suas pernas, brotadouros
de dois joelhos – glutona; cravilhos
pêlos cravejados, acres sabores

oferecidos à língua – pele
negra aberta: pôr de lado
os meios viciados – pedrinhas.